5

Encerramento do PH Poem a Day

Olá,

 

É…Fiquei muitos dias sem postar, mas a boa notícia é que mesmo afastada do blog eu me mantive no projeto de escrita #PH Poem a Day ! O projeto já acabou faz bastante tempo e eu não compartilhei com vocês os meus textos, então decidi que vou compartilhar aos poucos, para não ficar muito repetitivo e monótono (mais do que já está) o blog.

 

Eu preciso agradecer à Vanessa Chanice por essa ideia maravilhosa. Pois foi através do projeto que pude de fato dar mais valor à minha arte. Eu sempre gostei de escrever, mas nunca pensei em levar tão a sério como levo agora. Através do projeto também tive a oportunidade de conheci pessoas maravilhosas com um talento gigante.

 

Então, mais uma vez dona Chanice…Muito obrigada pelo projeto e espero ansiosa pelo próximo !

E obrigada também aos amigos que fiz durante o projeto, são todos uns fofos !

 

Beijos !

Anúncios
2

#PH Poema Day: Dia 15

Olá,

Ontem eu havia dito que seria difícil o tema de hoje, mas o inesperado aconteceu: eu já acordei com o texto na cabeça. Yeah !

O tema de hoje é: Uma gênero nunca escrito.
Eu tenho muita dificuldade para escrever crônicas e contos, mas como no desafio eu já havia produzido algo no estilo, já não contava como “nunca escrito”, então me lembrei dos Haikai, que são pequenos poemas, com versos curtos e um jogo de palavras. (Espero ter explicado direito)

Então, vamos lá:

Existência

Apenas sei que existo
Por que sempre insisto
E nunca desisto.

Vou ficando por aqui, por que estou meio desconsolada. Fui ao cinema ver A Culpa é das Estrelas e a sessão estava esgotada 😭, agora só quarta feira…E dessa vez, eu comprei o ingresso antecipado, para não ter problemas.

Beijos !

3

#PH Poem a Day: Dia 12, 13 e 14

Olá,

Yes, eu consegui atrasar as postagens aqui no blog. Estava produzindo normalmente, no ritmo do projeto e postando no grupo, porém não estava conseguindo atualizar o blog, por que todos esses dias que produzi, acabei finalizando os textos muito tarde e o cansaço não me deixava vir aqui, me perdoem, please.

 

Então vamos lá.

Dia 12: Inspirado em uma música. Eu escolhi a música nacional que mais estou amando no momento, “Meu Sol” – Vanguart

 

E há de saber

Aproveitar esta vida

Sorrir, chorar

Saber dominar

A arte de amar.

E há de saber

Que cada dia

Pode trazer a alegria

Que o melhor sempre

Está por vir de manhã.

Pois a vida

É puramente para ser sentida.

Curtida.

Vivida, enfim.

 

Dia 13: Um personagem Literário. Tentei a todo custo escrever sobre o Gus Waters, mas como sob pressão eu não funciono, não consegui. Depois tentei escrever sobre o Charlie, de As Vantagens de ser Invisivel, mas eu também não consegui. Nunca achava que estava ok, mas também o Charlie é um personagem lindo, mas meio complicado de escrever, kkk. Então, terminei por escrever sobre a Ana Maria, do livro do Michael Quoist, Diário de Ana Maria. Um livro que li na minha adolescência e que me fez muito bem.

 

O Diário de Ana Maria

Ana Maria só queria conhecer
Esse mundo louco onde iria viver
Na busca por muito aprender
Ana Maria foi construindo seu ser!
Escrevia em seu diário
Tudo que julgava necessário
Para viver sua adolescência
Mantendo a inocência.
Menina, como eu aprendi com você.
Lendo seu diário,
Aprendi o que é crescer !

 

Dia 14: Tudo que você queria ter dito. Tema meio tenso. Mas eu tentei, eu tentei…

 

Carta ao meu bem

 

Meu bem,

Tudo aquilo que não foi dito

Ainda vai te calar.

Por isso, te suplico:

“Deixe o coração falar !”

Sabe, meu bem.

Guardar o que machuca

Não nos faz bem.

Me ouça, querido !

Não te quero de coração partido,

Então, solte o grito !

 

É isso. Amanhã vai ser o dia mais tenso para mim, o tema é um gênero nunca escrito por mim. Vamos tentar, oremos !

Beijos !

 

 

4

#PH Poem a Day: Dia 11

Olá,

Estou aqui, caindo de sono, mas não quero dar furo no projeto, postar no dia errado…então, em consideração a vocês, queridos que me leem, venho publicar minha décima primeira participação no projeto.
Mas antes, preciso agradecer de todo o coração a todos amigos que fiz no grupo, todos que me incentivam quando me sinto desmotivada e “desinspirada”…Beijos a todos vocês !

O tema de hoje: sertão. E eu ia começar a falar o quanto foi difícil escrever e blábláblá, mas não vai resolver muita coisa, então vou direto ao produto, kkk

Coração-sertão

Um coração seco
Duro como o chão
De lá do sertão.
Está quebrado,
Rachado, despedaçado
Pelas dores do passado.
Pois que venha a chuva !
Água milagrosa
Molhar este chão,
Fazer brotar flores em teu coração…

Espero que gostem, eu acabei por gostar…
Beijos !

6

#PH Poem a Day: dias 8, 9 e 10

Olá,
Meu fim de semana foi meio corrido e eu não consegui produzir e postar como eu desejava. Mas hoje vou postar os três dias atrasados de uma só vez…Vamos,lá?

Dia oito: infância

Criança

Criança…
Inocente criança
Nunca tire de teus olhos
Essa esperança.
Pois é ela,
Que não me deixa
Jamais esquecer
Da minha infância.
Tua alegria espontânea
Me lembra a criança
Que um dia fui.

Dia nove: Velhice

Cada dia mais velho
Mais decadente,
Mais carente.
Deixado de lado
Abandonado,
Coitado !

Dia dez: O mar

Andando pela areia com os pés descalços. Sinto a onda ir e vir sob os meus pés. Enquanto caminho, me contagio por uma sensação que nunca senti igual, uma vontade de me misturar, me entregar àquela imensidão.
De repente, ouvi um chamado. De onde vem? Vem do mar. É um convite para mergulhar. Como resistir?
Num segundo, estou lá. Me sinto inundada, lavada por todo aquele mar.

Esperou que gostem. Prometo não atrasar mais os textos.
Beijos !

4

#PH Poem a Day: dia 7

Olá,

Hoje eu passei o dia inteiro na pós, mas isso não me impediu de participar desse projeto lindo *—–* Sério, estou ficando cada dia mais feliz em perceber que eu estou me disciplinando na escrita !

Antes de postar o texto oficial do projeto, preciso contar uma coisa engraçada.

Como eu teria aula hoje o dia inteiro, das 8:00 hrs às 18:00 hrs, com uma hora de intervalo para almoço, eu estava preocupada com o meu desempenho do projeto. Não queria de jeito nenhum deixar um furo, então resolvi que ia escrever no meio da aula mesmo. OK…Vamos escrever. Eis que sai um micro poema, mega infantil e totalmente tosco:

Queria ter a vida

da dona Borracha

Que pode apagar

as burradas.

Sério, pode rir. Por quando cheguei em casa, e li essa coisa com mais calma e meu namorado leu, nós rimos. E rimos muito….kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk e agora a resenha do momento é a tal da dona Borrachinha. E pior, eu postei isso no grupo do projeto. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Preciso de um buraco para enfiar minha cara, cadê? Tá certo que algumas pessoas curtiram, gostaram. Mas eu não fiquei satisfeita, então, nasceu outro texto. E esse eu curti mais:

 

O Anel

Era apenas um anel. Mas ela não conseguia largar. Andava com ele pendurado na corrente, bem próximo ao coração. Como se exibi-lo por aí fosse protege-la de todo o sofrimento.
Era apenas um anel, era o que ela queria. Queria que aquele maldito anel nada representasse, não lhe lembrasse o amor que se foi e não apertasse a ferida que ainda dói.
Era apenas um anel…Era ! Por que um dia ela se cansou de conviver com um fantasma do passado. E agora o anel é somente um anel.

 

Espero que tenham gostado e caso queiram sorrir, rir, gargalhar da dona Borrachinha, sinta-se a vontade.

 

Beijos !

4

#PH Poem a Day: dia 6

Olá,

Hoje estou muito contente comigo, pois consegui escrever um conto, ao invés de uma poesia \o/. Quer dizer, eu escrevi poesia também, kkkk, mas o texto oficial do projeto vai ser o conto.

O tema de hoje é: Azul. Foi meio difícil para mim, primeiro por que azul não é minha cor preferida, como para a maioria das pessoas e segundo, por que quando penso em azul, só consigo pensar no céu azul, e eu não queria falar sobre o céu de novo.

Pensei, rascunhei, pensei de novo. Até que me veio a ideia.

Num papel azul…

Numa noite meio fria, Marília sente que vai explodir, precisa se esvaziar ou não vai suportar. Enrolada no edredom, se levanta, pé ante pé, com cuidado para não acordar o Bento, seu amado. Vai até a mesa do computador, pensa em “matar” o tempo conferindo seu Facebook, mas sabe que é inútil, “não é disso que preciso”, pensa Marília. Vai até a cozinha e prepara um chá de maçã e canela, seu preferido, pega alguns cookies de chocolate e volta ao quarto.

Novamente diante do computador, Marília nota ele, bem ali, ao lado do mouse: um papel azul. Como não havia notado antes? Aquela cor se destacando em meio a tantos papéis em sua mesa. Aceitou o convite e escreveu ! Ah, como ela adora deslizar a caneta sobre o papel, é um prazer indescritível ! Naquele papel azul, a cor da tranquilidade é o que dizem, Marília deposita tudo que lhe pesa: a faculdade, que já no último ano lhe tira o sono, a discussão com o Bento na hora do jantar, a cobrança do chefe a respeito daquele projeto atrasado, a saudade da melhor amiga, que agora está distante…

Enquanto escreve, Marília quase flutua, tudo que lhe pesava, agora pesa aquele papel azul, aquele da tranquilidade, lembra?  Marília e o papel fizeram uma troca: ela, lhe deu sua carga que tanto pesava e ele, o papel azul, lhe deu a tranquilidade.

Agora, Marília se sente leve, tão leve quanto aquele papel era antes de receber toda aquela carga.

Ela guarda seu mais novo amigo na gaveta onde esconde seus segredos, retorna para a cama, abraça o seu amado e adormece. Pronto, Marília se esvaziou !

 

Espero que gostem, quero as opiniões de vocês !

Estou pensando em escrever, durante o projeto, um texto e um poema (vou roubar um pouquinho, kkk), mas apenas um será o texto oficial do projeto. Vocês querem que eu poste sempre os dois textos? Juntos ou em postagens separadas?

 

Beijos !